Entra ou Sai

Março 23, 2012

Poeta

Filed under: COISAS MINHAS — carva55 @ 12:24 pm
Tags: , , , , , ,

Imagem

Sim, sou Poeta sim Senhor!
Sou poeta quando falo, quando escrevo.
E assim dizendo, as minhas alegrias, se me apetece partilho.
As minhas tristezas, se quero, escondo.
Sou poeta, sentinela alerta quando firme denúncio a malvadeza que por este mundo alastra e impiedosa me tortura.
Sou poeta quando desejo o bem para todos, num mundo  livre e limpo de
todas as maleitas que impregnam, todos os cabelos, todos os neurónios,
todos os nervos destes tristes mortais.
Sou poeta quando sadicamente desejo que os deuses desçam dos seus pedestais e venham até junto dos demais.
Que tenham a coragem e ousadia necessária e façam uma monda profunda e
arranquem todas as ervas daninhas e transformem isto num verdadeiro
jardim.
Não, só isso não, muito melhor: Que nos livrem destes
empecilhos, que tudo emperram. Destes corruptos que tudo nos roubam,
tudo como sanguessugas nos sugam.
Já que os fizeram, fazem todos, (dizem), que os levem que os aturem.
Sou poeta quando digo que quero o teu bem. Que te respeito como ninguém.
Dá-me prazer ver o teu sorriso. Um sorriso de canto a canto rasgado!
Quando comigo ris das minhas alegrias.
Às vezes, o meu sofrer, nas minhas tristezas , meto-o ao bolso… Carrego-o e levo-o para onde posso.
Para longe de ti. Um longe muito longe sem ti. Para longe dos teus
olhos. Só quero saber que os teus olhos só vêem e retêm a beleza que têm
os teus sonhos.
Longe de mim querer ousar turvar essa água cristalina que habita em teus olhos …
Óh! E como isso é tão bom!
Muito bom! Um bem supremo!
Que fica alimentando esta ânsia ardente, que é fogo!
Óh! E como isso é tão bom!

Fevereiro 27, 2011

O sonho do poeta

Filed under: POESIA — carva55 @ 1:47 pm
Tags: , , , ,

Do Site , Jorge Jacinto da Silva Júnior

O poeta é sensível a tudo
E em todos quer ver harmonia e paz.
Cultiva o amor numa palavra num gesto
No bem que a todos faz.

Se todos fossem poetas o mundo giraria
Mais afinado
Assim gira numa rebaldaria
Aos solavancos desengonçado.

O poeta sonha acordado e a dormir
Sonha ver todo o Ser do mundo feliz a rir
De olhos secos e garganta regada
E pança bem recheada.

Fevereiro de 2011

Create a free website or blog at WordPress.com.