Entra ou Sai

Dezembro 25, 2010

Dança mágica da procriação

Não sei de onde

Que é aquilo que ao longe se agiganta?
Simples remoinho de vento?
Ou o nascer de um perigoso tornado?
Agora, já mais perto, revela-se: Nada mais é que uma bela amazona bem montada.
Ve-se-lhe nitidamente o loiro cintilante do cabelo desgrenhado pelo vento na cavalgada.
Radiante pela euforia da chegada mais ofegante que o robusto corcel de batalha que monta.
Chega, apeia-se, arrima-se, aconchega-se.
Submissa entrega-se a mãos que perscrutam, curiosas investigam afagam apalpam quentes seios, macios e aveludados hirtos mamilos.
E a dança começa.
Os olhos, cúmplices fingem nada ver.
Os narizes expectantes cooperantes observam e consentem.
Os lábios tocam-se, as bocas abrem-se, as línguas aproveitam e serpenteiam como lânguidas serpentes em tempo de acasalamento roçam-se ao de leve.
Depois com o amor que livre flutua no ar e que anda de mão em mão, Sofregamente contorcem-se na quente e envolvente dança mágica da procriação.
E as partes, húmidas e viscosas, gulosas incham e em êxtase explodem.
Semeiam, e delas nascem lindos e engraçados pirralhos que se tornam em botões, e depois em lindas flores que formam os jardins e os édenes, que enfeitam e perfumam as nossas vidas.

24 de Dezembro de 2010

Anúncios

Site no WordPress.com.