Entra ou Sai

Fevereiro 13, 2008

Cicloamores

Filed under: POESIA — carva55 @ 3:05 pm
Tags: , , , , , , ,

rosto-e-rosa.jpgpatos1.jpg

( FOTOS, da NET )

Cicloamor ( I )

Oh! Meu amor
Meu estupor.

Socorro estou apaixonado
Desumanizado.

Sou uma pachorrenta
Cavalgadura.

Cavalgam – me o nariz lunetas
Apenas enxergo em frente o resto são tretas.

Cicloamor ( II )

Apaixonado, é vaguear
No chão ou no ar
Ébrio planante
A tudo indiferente
Ora acre
Ora doce
Prenhe de loucura errante.

Cicloamor ( III )

O amor é um monstro de sete cabeças!
Tritura!
Devora!
Mata!
Abandona!
Abençoa!

Cicloamor ( IV )

O amor aparvalha – nos
A todos.
Cegos e moucos
Repudiamos a verdade
Exorcizamos a realidade
E a nossa cara-metade
Fedorento mamarracho horrendo
Torna-se beldade iriante
E empolgante

Cicloamor ( V )

O amor é uma nuvem de encanto envolvente
De uma poção cativante
Que hipnotiza a gente.

Cicloamor ( VI )

Em amores e paixões
Há milhões
De interpretações.
Há cores nas imagens multicoloridas
Há sons maravilhosos nas melodias
Há vibrações estranhas!
Perigos, prazeres, em lutas, em batalhas,
Com coragem e valentia enfrentadas
Nos socalcos, nas curvas
Das paixões loucas
Nos amores desmedidos
Das nossas vidas.

Mas afinal, o que é o amor? Ninguém sabe de facto
Porque é o cúmulo do abstracto.

In , __ Entre o Ter e o Querer , Editorial Minerva Julho 2000

Site no WordPress.com.