Entra ou Sai

Outubro 9, 2012

Histórias

Filed under: COISAS MINHAS — carva55 @ 8:57 pm
Tags: , ,

Histórias

São vinte e duas horas e trinta e cinco minutos.

Regresso a casa.

No lameiro junto à fábrica Unisto uma vaca turina, ainda anda a pastar. Certamente já a cear.

Comer. Há comeres e comeres em histórias, em lendas, que não passam disso mesmo: lendas.

E há comeres noutras histórias, nestes e noutros lugares, comeres de quem comeu em aventuras por alguns, e algumas vividas, por outros e outras contadas, por outros e outras que apenas ouviram contar… De, com, e em aventuras e desventuras se faz a história. A história dos tempos.

Comer. Feliz daquele e daquela que come onde, quando, e quer comer.

Era uma vez um parque, olhos de patos mansos no lago. Olhos de patos nervosos a passar na estrada. E os medos a nascerem.

Mudança de poiso: Lavagem automática dos carros.

E nessa vez a lua ria, o sol descansava. Na cabeça medos, muitos medos. Na garganta suspiros, uis e ais … Joelhos inquietos nos botões do aparelho de som.

E subitamente a música aos berros. O coração aos saltos. A adrenalina a galopar, num galope desenfreado.

O prazer é muito, o êxtase total.

Subitamente o silêncio. Somente o som do silêncio. E nessa vez, nesse momento, finalmente  o relaxe. Nem um pássaro a cantar, nem um grilo a “grilar”. Só uma respiração ofegante num ombro expectante.

Como numa ilha deserta. Muito silêncio, muita areia, quatro pés, duas cabeças. E todo o tempo do mundo.

Histórias. São só histórias.

Histórias, sementeira de abstracto a fertilizar o substrato.

História do novo que dizia que comia e era só larica, fanfarronice e aldrabice… O novo dizia, dizia, mas era o velho que sem dizer que comia, comia… Quem diria?

Mas, já com poucos dentes era mais o que lambia do que o que comia!…

Histórias dentro de outras histórias.

Histórias que o tempo gerou.

Histórias que o tempo limou e por vezes eliminou.

Histórias em línguas viperinas, venenosas.

Histórias de mentes de escândalos carentes.

Histórias de encantar.

Histórias de embalar.

Histórias para baldroar.

Histórias com tronco e membros.

Histórias sem pés nem cabeça.

Histórias de usar e deitar fora.

Histórias para algo preservar.

Histórias que relatam os quês e os porquês das maleitas do mundo…

Histórias levadas da breca.

Histórias que nem ao mafarrico lembraria.

Histórias de tias solteironas desesperadas.

Histórias de primas virgens afogueadas.

Histórias de adúlteros enroscados.

Histórias de eunucos capados.

Histórias de betinhos furados.

Histórias são só histórias!

Histórias do bem e do mal, bem compostas, jeitosas, pensadas, realistas, vividas, sonhadas, bem contadas.

Histórias ficcionadas, inventadas, fatalistas, por vezes muito aldrabadas.

Enfim… Histórias são só histórias.

Abril 20, 2012

Tabus 

Tabus

 

Tabus. Ah! Os tabus. Monstros que atrofiam, que enclausuram.

Foi o namoro em casa do irmão onde o sogro é que ficava a controlar-me, a controlar-nos.

A mim, que era um estranho que lhe entrava em casa, mas a ti que vivias lá e tinhas vinte e sete anos?!

Tanto controle! Controle, mas na pessoa errada.

Tanto foi assim que a filha é que emprenhou!

Foi nos vãos de escadas, nas curvas de escadas entre andares, nos jardins, nos bancos dos autocarros , na barraca da praia com areia a arranhar , em lençóis alugados.

Foi onde tinha de ser, o momento exigia e onde podia ser …

Foi em casa, às sestas de pança cheia em plena digestão onde ainda o alçar das pernas não incomodavam, não havia dores chatas a chatearem nos tornozelos, nos artelhos…nem panças a estorvarem.

 Foi em casa de tarde à noite, a qualquer hora, bastava que apetecesse.

 Mas sempre esperando que enquanto e durante o acto, quem tinha a chave suplente não viesse incomodar.

 Como chegou a acontecer vir e interromper no momento exacto e mais impróprio.

Foi, o que foi, como foi. E é isto que temos para recordar.

Se um dia te acabarem os comeres , se um dia te caírem os dentes , lembra-te que já tiveste dias melhores que foram teus , que foram meus, meus e teus.

 

Abril de 2012

 ImagemImagem

Março 23, 2012

AS MAMAS DOS HOMENS

Filed under: COISAS MINHAS — carva55 @ 12:53 pm
Tags: , , , , ,

 

 

 

As mamas dos homens para que servem ?
Têm alguma utilidade ? Será para as línguas que por lá passam terem onde depositar os perdigotos ?
Será  que é para enfeitar  ?  Não ficaríamos mais bonitos sem essas coisas ?
Dizem que deus nos fez . Então penso que desperdiçou  energia , matéria prima e tempo . 
Ou terá sido visionário e previu logo que iam aparecer os GAYS e assim
quis poupar-lhes tempo .  Já as têm é só assoprar-lhes …  
Há por aí alguém que me dê respostas lógicas ?

————

Comentários

1 ) As mamas dos Homens tambem
dão “Alma” às Mulheres. Se os Homens gostam de ver os seios das
Mulheres, tambem , elas gostam de ver as nossas! Só que na Praia todo o
“Burro” olham os peitos delas enquanto despidas e, elas, nem reparam nas
nossas!

 2 ) Nem reparam ?  Realmente algumas são tão feias que metem medo ao susto!…

3 ) Do que tu telembras…  

 4 ) Tem graça ,só pensei  nesta coisa já com 56 anos , porquê não sei?

5 ) Sabes que os homens também desenvolvem cranco na mama.

6 ) sim,já  ouvi

Poeta

Filed under: COISAS MINHAS — carva55 @ 12:24 pm
Tags: , , , , , ,

Imagem

Sim, sou Poeta sim Senhor!
Sou poeta quando falo, quando escrevo.
E assim dizendo, as minhas alegrias, se me apetece partilho.
As minhas tristezas, se quero, escondo.
Sou poeta, sentinela alerta quando firme denúncio a malvadeza que por este mundo alastra e impiedosa me tortura.
Sou poeta quando desejo o bem para todos, num mundo  livre e limpo de
todas as maleitas que impregnam, todos os cabelos, todos os neurónios,
todos os nervos destes tristes mortais.
Sou poeta quando sadicamente desejo que os deuses desçam dos seus pedestais e venham até junto dos demais.
Que tenham a coragem e ousadia necessária e façam uma monda profunda e
arranquem todas as ervas daninhas e transformem isto num verdadeiro
jardim.
Não, só isso não, muito melhor: Que nos livrem destes
empecilhos, que tudo emperram. Destes corruptos que tudo nos roubam,
tudo como sanguessugas nos sugam.
Já que os fizeram, fazem todos, (dizem), que os levem que os aturem.
Sou poeta quando digo que quero o teu bem. Que te respeito como ninguém.
Dá-me prazer ver o teu sorriso. Um sorriso de canto a canto rasgado!
Quando comigo ris das minhas alegrias.
Às vezes, o meu sofrer, nas minhas tristezas , meto-o ao bolso… Carrego-o e levo-o para onde posso.
Para longe de ti. Um longe muito longe sem ti. Para longe dos teus
olhos. Só quero saber que os teus olhos só vêem e retêm a beleza que têm
os teus sonhos.
Longe de mim querer ousar turvar essa água cristalina que habita em teus olhos …
Óh! E como isso é tão bom!
Muito bom! Um bem supremo!
Que fica alimentando esta ânsia ardente, que é fogo!
Óh! E como isso é tão bom!

Março 1, 2012

LIVROS GRÁTIS

Filed under: COISAS MINHAS,Uncategorized — carva55 @ 11:21 am
Tags: , , , ,

Olá . Convido-vos a baixar , guardar e ler com calma . Obrigado

http://www.bubok.pt/livros/1471/Entre–Margens

http://www.bubok.pt/livros/1473/Entre-Olhos-e-Folhos

Maio 21, 2011

Amigos virtuais

Filed under: POESIA — carva55 @ 9:30 pm
Tags: , ,

Amigos que o vento levou
Amigos que o tempo apagou.

Amigos que criei
Amigos que conquistei.

Amigos que ganhei
Amigos que perdi.

Amigos que vieram
Amigos que foram.

Amigos que nunca estiveram
Amigos que apenas rondavam.

Amigos virtuais que interessados como feras farejavam
Amigos que desinteressados sorrateiramente se afastaram.

Amigos que os interesses corromperam
Amigos que nada trouxeram.

Amigos que a inércia emperrou
Amigos que a apatia anestesiou.

Rorschach, 21/05/11

Fevereiro 27, 2011

O sonho do poeta

Filed under: POESIA — carva55 @ 1:47 pm
Tags: , , , ,

Do Site , Jorge Jacinto da Silva Júnior

O poeta é sensível a tudo
E em todos quer ver harmonia e paz.
Cultiva o amor numa palavra num gesto
No bem que a todos faz.

Se todos fossem poetas o mundo giraria
Mais afinado
Assim gira numa rebaldaria
Aos solavancos desengonçado.

O poeta sonha acordado e a dormir
Sonha ver todo o Ser do mundo feliz a rir
De olhos secos e garganta regada
E pança bem recheada.

Fevereiro de 2011

Prenda de aniversário

Filed under: POESIA — carva55 @ 1:42 pm
Tags: , , , ,

Toma lá este ramo
De flores como prenda de aniversário.
São de plástico bem sei… coloridas mas sem cheiro.

Pudesse eu ir levá-las…
Quisesses tu vir buscá-las…

E eu te daria todas as flores dum jardim inteiro!

Se não tivesse dinheiro para as comprar
Sem hesitar
Como um louco de amor as iria roubar
Para cheio de felicidade enquanto cheirosas
Frescas e bem viçosas
A ti sem demora as ir dar .

Fevereiro de 2011

Dança mágica da procriação

Da Net

Que é aquilo
Que ao longe se agiganta?
Um simples remoínho de vento ?
Ou o nascer de um perigoso tornado?

Agora, já mais perto
Revela-se : Nada mais é que uma bela amazona bem montada.
Vê-se-lhe nitidamente
O loiro cintilante
Do cabelo desgrenhado
Pelo vento
Na cavalgada.

Radiante
Pela euforia
Da chegada
Mais ofegante
Que o robusto corcel de batalha
Que monta.

Chega, apeia-se
Arrima-se-me
Aconchega-se-me .

As minhas mãos prescrutam
Curiosas investigam
Afagam apalpam.

Quentes seios
Macios aveludados
Hirtos mamilos.

E a dança começa.

Os olhos, cúmplices
Fingem nada ver.
Os narizes
Expectantes
Cooperantes
Observam e consentem.

Os lábios tocam-se
Abrem-se
As línguas
Serpenteiam
Como lânguidas
Serpentes
Em tempo de acasalamento.

Roçam-se ao de leve.
Depois como o amor
Que livre flutua no ar
E que anda de mão em mão
Sofregamente
Contorcem-se na quente
E envolvente
Dança
Mágica da procriação.

Janeiro 3, 2011

Livros Grátis

Filed under: COISAS — carva55 @ 8:09 pm
Tags: ,

Olá.
Aqui deixo estes dois LINKS para que, quem estiver interessado, possa ler grátis e na íntegra , dois dos meus últimos quatro livros, edição de 2010 .
Basta que os marquem copiem e coloquem nos FAVORITOS para que os possam ler nas calmas.
No fundo de cada página aparece a numeração , por isso é fácil ir controlando o que já foi lido.
Espero que gostem .Um bom Ano para todos , com tudo de bom .

http://www.wattpad.com/708377-conversas-de-papel
http://www.wattpad.com/708359-entre-olhos-e-folhos

Página seguinte »

Create a free website or blog at WordPress.com.